Agronegócio diz que não vai pagar conta da greve

Oito entidades do agronegócio se posicionaram nesta segunda-feira (28) contra a tabela de preço mínimo para o frete rodoviário, uma tentativa do governo Temer para acabar com a greve dos caminhoneiros. Os grupos alegam que o tabelamento do frete pode fazer com que as indústrias ligadas ao setor agrícola, que utilizam intensamente o transporte rodoviário, tenham que arcar com a conta da paralisação dos caminhoneiros.
Perante a medida provisória estabelecida por Temer, os preços mínimos do frete vão ser definidos pela ANTT (Agência Nacional de Transporte Terrestre), após consulta aos caminhoneiros autônomos, cooperativas e transportadoras. A tabela deve ser divulgada em cinco dias e vigorar por um semestre.
Fonte:M1/Adaptação:Equipe Oeste Mania.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *